Previdência complementar: Brasileiros ainda não sabem como funciona

“Percebo que pouquíssima gente no Brasil sabe direito como funciona a previdência complementar”, diz André Massaro, consultor financeiro em seu blog no Portal da Revista EXAME. “A maioria acha que é apenas uma “versão privada” da aposentadoria pública. Vejo pessoas que ficam encantadas com simulações (sempre otimistas) de aposentadorias projetadas para daqui a vinte ou trinta anos e acreditam que, de alguma forma, aquela renda projetada é algo garantido e vitalício.

Pouca gente entende claramente que o valor que a pessoa vai receber de sua aposentadoria complementar é dependente da performance dos mercados financeiros no período de acumulação, e que o mercado financeiro brasileiro caminha rapidamente para um padrão mais condizente com o que é praticado nas economias desenvolvidas, o que é uma péssima notícia para o investidor, que terá que se acostumar com retornos menores e riscos muito maiores.

Aqui no Brasil, as pessoas fazem as simulações de aposentadoria considerando nossas taxas de juros atuais, que são absolutamente irreais para os padrões de uma economia desenvolvida, e poderão ter uma surpresa muito desagradável caso o Brasil entre no “clube do primeiro mundo”.

Cada vez mais, precisaremos entender como a aposentadoria é encarada nas economias desenvolvidas (e aí entenderemos também porque ela é uma das maiores fontes de stress financeiro), para termos uma ideia mais clara do que o futuro nos reserva e de como deveremos preparar nossas aposentadorias nesses novos tempos”.

Fonte: Exame.com

Compartilhe

Mais conteúdos